Noções básicas para quem teve dificuldades em encontrar literatura sobre a Diabetes
Sábado, 09.01.10

Informação sucinta sobre a Diabetes

 

O que é a Diabetes?
A diabetes é uma doença crónica caracterizada pelo aumento dos níveis de açúcar (glicose) no sangue. À quantidade de glicose no sangue chama-se glicémia. Ao seu aumento designa-se hiperglicémia. A diabetes é uma doença que resulta de uma deficiente capacidade de utilização pelo nosso organismo da nossa principal fonte de energia - a glicose (açúcar). Muitos dos alimentos que ingerimos são transformados em glicose no nosso aparelho digestivo. Ela resulta da digestão e transformação dos amidos e dos açúcares da nossa alimentação.
 
Número de diabéticos
Actualmente, quase 5%, ou seja 22,5 Milhões de adultos são diabéticos na Europa*. Existem dois tipos principais de Diabetes Mellitus : A Diabetes de tipo 1, também conhecida como Diabetes Insulino-Dependente que é genética e a diabetes tipo 2 que tem a ver com os hábitos alimentares e estilos de vida. A Diabetes de tipo 2 representa entre 80 a 90% de todos os casos de diabetes na Região. Como nas outras partes do mundo, a prevalência da diabete tipo 2 está a aumentar.
* Definição da região europeia segundo a Federação Internacional para a Diabetes : 463 milhões de adultos em 40 países.
Source: « Atlas 2000 da Diabetes » da Federação Internacional para a Diabetes.
 
Factores de risco
Tipo 1
factores genéticos e ambientais
Tipo 2
A idade combinada com a obesidade, Pessoas que têm familiares próximos com diabetes , a diabetes gestacional, a inactividade física, a má tolerância à glicose.
 
 
Sintomas
Tipo 1
O pâncreas produz pouco ou não produz insulina. Os sintomas podem aparecer subitamente. Urina frequente - sede excessiva - fome excessiva - perda súbita de peso (sem razão aparente) - fraqueza, sonolência - visão turva - náuseas e vómitos.
Tipo 2
O pâncreas produz insulina mas o corpo não a pode utilizar correctamente. Apesar da taxa de insulina ser normal, a taxa de açúcar no sangue não o é. Em geral, os sintomas aparecem progressivamente. Certos sintomas mencionados no Tipo 1, infecções recorrentes ou permanentes da pele, das gengivas ou do aparelho urinário, sonolência - inchaço das mãos e pés.
 
Tratamento
O diagnóstico pode ser inesperado para muitos. A maioria das pessoas reagem perguntando: " Como vou fazer para continuar a trabalhar e a viajar? ", " Como é que vou contar aos meus amigos? ", " Devo parar de comer a minha sobremesa preferida? "
As pessoas que foram diagnosticadas precocemente têm muita sorte. Quando se é diabético, o saber é poder e tal permite adaptar o seu estilo de vida e proteger-se. Pode seguir o programa alimentar estabelecido pelo seu médico. Pratique exercício físico regularmente e isso é suficiente para algumas pessoas.
Para outros, necessitarão também tomar medicamentos por via oral ou injecções de insulina para controlar a taxa de açúcar no sangue. O segredo para o controlo da diabetes é um espírito são e um comportamento são. Isso pode ser difícil no início, mas as mudanças no modo de vida são necessárias para prevenir ou reduzir os riscos e as complicações ligadas à Diabetes
 
 
Regime: programa alimentar
A alimentação é um elemento importante no tratamento da diabetes. Trabalhar com o seu médico é muito útil para desenvolver um programa alimentar adaptado ao seu caso. É importante ter um regime alimentar detalhado, personalizado e actualizado!
 
Veja aqui alguns conselhos complementares para integrar nos seus novos hábitos alimentares:
 
  • Tenha uma alimentação variada todos os dias
  • Escolha alimentos ricos em fibras como as frutas, os legumes, os cereais e o feijão
  • Coloque menos açúcar, gorduras e sal nas suas refeições
  • Coma em horários regulares todos os dias
  • Experimente novos alimentos- quanto mais sadios, melhor
  • Evite saltar uma refeição- Tenha verdadeiros hábitos alimentares
  • Para a perda de peso, divida os pratos em porções
Disponha igualmente do tempo para passear no supermercado, ler as marcas alimentares, estudar os livros de receitas light, fazer cursos de culinária e divertir-se experimentando novas receitas. Habitue-se ao seu programa alimentar, procure os alimentos que gosta e integre-os nos seus menus pessoais. Com um pouco de prática, fazer uma boa escolha de alimentos demorará menos tempo. Apesar de tudo, o que é bom para o corpo pode também ser bom para o paladar!
 
 
Substituir o Açúcar por Adoçantes
Um dos adoçantes mais antigos e conhecidos por todos é o Canderel. Comer bons alimentos, em boa quantidade e a horas certas contribuirá para melhorar a sua saúde e para reduzir riscos de complicações ligadas à diabetes. Em que é que Canderel pode ajudar? Canderel é o adoçante ideal para os diabéticos porque tem o sabor do doce, praticamente sem calorias. Canderel pode facilmente fazer parte do seu estilo de vida porque pode encontrá-lo em qualquer lugar.
Comece por utilizar Canderel para substituir o açúcar no café, no chá e para acompanhar as frutas e os cereais. Em casa, pode encher o seu açúcareiro com Canderel e pode descobrir uma nova maneira de utilizar Canderel na cozinha.
Seja vigilante com as calorias e os glúcidos. Contar as calorias não é só reservado às pessoas que estão de regime.
Para alcançar e manter uma taxa de açúcar satisfatória, é importante comer alimentos sadios e variados vigiando a quantidade total de glícidos. A utilização de Canderel permite saborear alimentos e bebidas doces praticamente sem calorias. Pode consumir as calorias e os glúcidos através de alimentos mais nutritivos como as frutas, os legumes, os lacticínios e os cereais .
 
Determine o seu peso ideal
 
O peso ideal
A avaliação do peso corporal pode contribuir de forma muito importante para conhecimento do estado nutricional e da saúde do indivíduo.
É sabido que o excesso de massa gorda está associado a doenças crónicas como a hipertensão arterial, acidentes vasculares cerebrais, diabetes e enfarte do miocárdio. O seu peso ideal é o peso que lhe permite sentir-se bem, dinâmico e de boa saúde (boa relação entre tecido muscular e a massa gorda).
 
O peso desejado
Talvez seja o peso ideal que sonha alcançar...
Mas tenha cuidado !
Um peso desejado que seja longe do seu peso ideal pode colocar em perigo a sua saúde!
E por isso é importante saber avaliar o seu peso ideal antes de iniciar uma dieta.
 
Como alcançar o seu peso ideal
 
É um bom sinal
  • Se o seu peso é estável, variando à volta de 2 kg, há vários meses, ou mesmo vários anos, então está próximo do seu peso ideal.
  • Se conservou o mesmo peso de quando tinha 25 anos, está sem dúvida no seu peso ideal.
  • Se sobe escadas rapidamente sem ficar com falta de ar.
  • Se pratica desporto regularmente, isso ajuda a manter o seu peso ideal e a manter o seu corpo são.
  • A melhor maneira de manter o seu peso ideal é fazer 5 refeições por dia e sobretudo não saltar o pequeno almoço.
  • Se fisicamente e moralmente, sente um bem-estar (mesmo com alguns quilos a mais), está no caminho certo! De facto, o peso ideal não é o peso normal (estatístico), nem o peso idealizado (ou desejado), mas aquele que o permite sentir-se de boa saúde.
É um mau sinal
  • Se o seu peso actual corresponde ao maior peso que já teve, ou se há algum tempo, engorda regularmente, deve ter ultrapassado seu peso ideal.
  • O peso do indivíduo tem uma parte determinada pela genética. Se toda a sua família (pais, avós, irmãos e irmãs) são magros e se é o mais corpulento, ultrapassou seguramente o seu peso ideal.
  • Se começa a sentir que suas roupas estão estreitas este é o sinal de aumento de peso recente. A localização de um excesso de gorduras ao nível da cintura e da parte superior do corpo é pior para a saúde que ao nível dos quadris e das coxas.
  • Se se sente obrigado a privar-se continuamente e sentir-se com fome para manter o seu peso, é porque esse peso é mais baixo do que o seu peso ideal. Tentar, através de qualquer modo, manter esse peso baixo pode ocasionar com o tempo um desgaste moral e corporal, prejudicando a sua saúde (o que não é o objectivo desejado!).
Alguns bons conselhos
 
Está no seu peso ideal
Que sorte! Não procure emagrecer mas preste mais atenção na manutenção do seu peso, comendo refeições variadas e equilibradas. Use CANDEREL para compensar alguns pequenos extra!
O nosso conselho: Se está na zona de peso normal mas se alguns quilos o incomodam, é importante emagrecer de forma lenta e progressiva.
 
Está acima do seu peso ideal
Tente comer melhor, começando com 3 refeições, tendo um verdadeiro pequeno almoço com lacticínios, frutas e cereais. Continue a limitar a gordura e o álcool, o que não o impede de comer massas de vez em quando. Se não consegue resistir aos doces , não se prive de sobremesas... use CANDEREL! CANDEREL é delicioso e não tem praticamente calorias.
Se já esqueceu como é ser magra
Este é o momento de reagir... energicamente!
O seu programa é: comer mais legumes verdes, apaixonar-se pelas saladas mistas e lacticínios magros, preferir o peixe à carne, beber muita água, eliminar o álcool e colocar CANDEREL nas suas saladas de frutas e cafés. E... Praticar muito desporto.
 
Não se Esqueça
- Beba muita água (no mínimo 1,5 l por dia).
- Tome um verdadeiro pequeno almoço. Não salte nenhuma refeição.
- Use CANDEREL nos seus lacticínios ou nas frutas como morangos, melão.
- Evite comer entre as refeições.
- Troque o açúcar no café ou no chá por CANDEREL (1 Canderel tem só 0,3 kcal, 50 vezes menos calorias comparado com uma colher de chá de açúcar).
 
NUTRIÇÃO
A alimentação é uma questão de equilibrio
A alimentação saudável tem como características fundamentais ser variada e adequada às necessidades individuais no que diz respeito ao fornecimento de energia e nutrientes, obtidos com a ingestão de cada um dos grandes grupos de alimentos essenciais à saúde (Pirâmide de alimentos). Veja um resumo dos diferentes grupos de alimentos essenciais para um bom equilíbrio.
 
O equilíbrio nas suas refeições
Para preparar uma refeição equilibrada, é necessário procurar em cada um dos grupos de alimentos e escolher os que o atraem mais...
 
Exemplos de refeições equilibradas :
Exemplo 1 :

Salada de alface (vegetais crus),
Linguado com tagliatelles (proteínas +glícidos),
Uma colher de óleo para a salada e uma noz de manteiga para derreter na massa (lípidos)
Exemplo 2 :

Ovos à florentina (proteínas) Uma noz de manteiga nos espinafres (fibras+lípidos); 1fatia fina de queijo camembert acompanhado de pão (lacticínios +glícidos ).
 
Um conselho para não se enganar
Escolha em cada grupo de alimentos aquele que lhe apetece para o seu menu (ex.: linguado) e complete com os outros grupos de alimentos (tagliatelles, salada mista, lacticínios). Mas o que fazer quando vê uma deliciosa quiche/tarte pois já contém os representantes de cada grupo, por exemplo presunto, lacticínios, fibras e gorduras?
A resposta encontra-se no elemento que falta: os legumes verdes e as frutas. Para equilibrar o seu menu, apenas precisa ter como acompanhamento da sua quiche uma salada mista ou simples, e terminar a refeição com uma fruta.
 
Tente construir a sua refeição equilibrada com as seguintes opções :
Caso 1
Tomates recheados: legume(tomate) + proteínas (o recheio da carne). Complete com arroz e um queijo 'petit suisse' com CANDEREL (fibras, lacticínios).
Caso 2
Omelete de queijo: proteínas + lacticínios. Complete com salada mista e uma salada de frutas com CANDEREL.
 
Algumas dicas para um diabético se alimentar
 
O que vale, na hora de escolher o que vai no prato, é a quantidade e a combinação dos alimentos.
 De todos os nutrientes, o que mais eleva a sua glicemia é o carboidrato. Sabendo a quantidade  e carboidratos que você consome a cada refeição, fica bem mais fácil ajustar a dose da sua medicação.

 

 

 

Alguns alimentos ainda têm o poder de ajudar a equilibrar a absorção dos carboidratos, que no corpo se transformam imediatamente em açúcar.

 

Comendo fibras e fazendo uma refeição balanceada, você consegue driblar o excesso de glicose, ou faz com que ela demore mais tempo para ser absorvida no sangue, e ainda melhora sua qualidade de vida.

 

E quando bater aquela vontade de doce de verdade, coma seu açúcar sem culpa, mas escolha a hora certa e não exagere. Uma fatia sedutora, devorada com gosto, assim de vez em quando, transborda muito mais sentido do que se você comesse doce a toda hora. Experimente deixar essas fatias para instantes gloriosos.

 

  

IMPORTANTE: Independentemente do tipo de diabetes que você tem, o ideal é consumir esse doce no lugar de outro alimento, para evitar excessos e com isso o aumento do peso e da glicemia.
 
Melhor mesmo é reservar os doces e os alimentos mais proibidos para ocasiões ainda mais especiais. A festa de aniversário, pode ser. Ou aquele encontro regado a champanhe com um amor de mãos entre laçadas nas suas. Ou simplesmente para comemorar como você se cuida e sua glicemia está certinha, de ganhar parabéns do médico.
 

 

Fibras: Com a óbvia exceção de quem tem problemas sérios no aparelho digestivo e precisa de dietas específicas, as fibras são fundamentais na vida de todos nós. Afinal, desde os tempos pré-históricos começamos a ingerir folhas, grãos, uma dieta rica em fibras, capaz de fazer o organismo funcionar como se deve e encher a gente de energia. As fibras varrem a sujeira do intestino (e seu corpo e sua pele cintilam), promovem aquela sensação de saciedade sem pesar no estômago e ajudam na absorção de outros alimentos. No sentido literal, científico, as fibras presentes nos grãos integrais, nas cascas de frutas e em várias hortaliças se misturam ao bolo alimentar e ajudam a manter a flora intestinal equilibrada, evitando a horrorosa prisão de ventre. Sem contar que ainda ajudam a prevenir o mau colesterol. No sentido figurado, da valorização do paladar, da poesia no prato, as fibras contribuem para despertar o amor pela boa comida. Cabem em todas as receitas, doces e salgadas, agradam a todos os paladares. Com fibras na mesa, você mastiga mais devagar, sente cada sutileza do sabor, presta atenção nos detalhes, aproveita melhor o que põe na boca. E a sensação de bem-estar vai muito além da refeição.

 

 

Proteínas: Carnes, leite, queijos, peixes, ovos, leguminosas como o feijão e a ervilha devem fazer parte da sua alimentação, mas não demais. Calcule que uns 15% do que você come no dia precisa conter proteínas. Ir além disso pode ser demais, e começa a não fazer tão bem, especialmente para quem sofre de problemas renais. Pessoas com diabetes também têm uma tendência maior de desenvolver doenças cardíacas, portanto não abuse da gordura, e prefira, no dia-a-dia, consumir as proteínas magras. Deu um desejo de devorar espaguete? Então prepare um à bolonhesa, assim vai consumir carboidrato, proteína e gordura – e mata sua vontade de um almoço da mamma. Se caprichar, a comida lhe inspirará poemas. E quem é que vai se lembrar do diabetes diante de um prato desses?

 

Para estrelar seu cardápio, nada melhor do que a dupla brasileiríssima arroz com feijão: é excelente para a saúde, cai bem com quase todos os complementos e contém fibras, carboidrato e proteína.

 

 

Adoçantes: São todos bem-vindos, embora quem tem pressão alta deva evitar os que contêm sódio na fórmula, como o ciclamato de sódio e a sacarina. Olho nos rótulos!

 

 

Verdura: Tem vitaminas, minerais e fibras, faz bem para a saúde e, preparada de forma saudável, cozida, a vapor ou servida crua em saladas, praticamente não tem carboidratos. Abuse, use, se delicie com folhas verdinhas no prato.

 

Ovo: Por essa você não esperava. Ovos, que durante anos foram os grandes vilões da humanidade (“Você podia calcular em dias o tempo perdido cada vez que comia uma gema”, diz o escritor Luis Fernando Verissimo), acabaram absolvidos de vários crimes. Consumidos com moderação, não fazem mal ao colesterol. Divirta-se com omeletes (cuidado para não abusar da gordura) e pense que aquele quindim que lhe sorri na doceria é menos assustador do que parece - Isso se vocÊ não tiver a glicemia controlada.

 

Lanches: Um copo de leite, ou uma maçã, ou três Bis, ou duas fatias de pão com margarina – lanchinhos são essenciais para a sua saúde. A cada 3 ou 4 horas, seu corpo precisa ser alimentado, ou seja: um lanchinho entre o café da manhã e o almoço, outra boquinha no meio da tarde, antes do jantar. Jantou cedo e demorou para cair na cama? Belisque de novo antes de dormir, coisa leve, para sonhos inspirados. Acontece que, quando você fica muitas horas sem comer nada, o corpo se desespera e, na hora em que você comer de novo, vai absorver tudo, tudo e mais um pouco e logo transformar em glicose para garantir sua energia. E se você estiver tomando medicamentos para baixar sua glicemia, eles podem continuar agindo enquanto você não come, provocando a hipoglicemia.

 

 Sinal verde: Alguns alimentos têm cartão vip no seu organismo, estão liberados sem qualquer preço para o seu diabetes. Veja a lista: café, chá, água mineral, refrigerante diet ou light, gelatina diet.

 

 Dica sobre o sumo de laranja: Em vez de tomar um sumo de laranja, que concentra muito açúcar da fruta e faz sua glicemia subir rapidamente, prefira comer uma laranja, tem menos açúcar (afinal, o suco leva umas três laranjas de uma vez), e suas fibras fazem com que o organismo demore mais para absorver a glicose.

publicado por Marcolino Duarte Osorio às 20:22 | link do post | favorito
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
arquivos
2010
blogs SAPO